Câmeras inteligentes garantem o distanciamento social e a utilização das máscaras!

Postado em 13 maio 2020

Câmeras inteligentes garantem o distanciamento social e a utilização das máscaras!

Câmeras inteligentes no controle do Coronavírus 

As câmeras inteligentes verificarão em breve se você está se distanciando socialmente e usando uma máscara...

Sim, as empresas estão correndo para desenvolver sistemas de vigilância que podem monitorar os espaços internos - públicos e privados/empresas - para multidões excessivas e pessoas sem a proteção da máscara, obrigatória hoje na maioria dos países.

Imagine chegar a um supermercado e ver um grande número vermelho em uma placa digital do lado de fora. Em vez de atrair você a entrar com preços de venda ou promoções, esse sinal está estimando a distância entre as pessoas, sugerindo que você fique longe até que a loja esteja menos cheia.

Por mais absurdo que possa parecer, três grandes fabricantes estão correndo para construir sistemas de vigilância que possam tornar esse cenário possível durante a pandemia de coronavírus.

Ao combinar câmeras de segurança convencionais ou WiFi com inteligência artificial, eles esperam identificar onde as pessoas estão se aproximando demais ou não usando máscaras. Dessa forma, as pessoas podem tomar decisões mais assertivas e os empregadores podem descobrir como criar ambientes de trabalho mais seguros.

De acordo com Mahesh Saptharishi, o CTO da Motorola Solutions, que está desenvolvendo um sistema desse tipo. "Acho que isso será mais comum até que as pessoas se sintam seguras o suficiente".

 Além da detecção da febre

Até agora, a maior parte do hype da vigilância de coronavírus se concentrou em câmeras térmicas, que usam sensores infravermelhos para identificar pessoas que podem estar com febre. John Honovich, o fundador da publicação comercial de vigilância por vídeo IPVM, diz que, em uma escala de 1 a 10, o interesse em câmeras de febre é "como 110 - disparou para um nível fora do normal. 

No entanto, as câmeras com sensor de temperatura não são uma solução comprovada e que se aplica a todos os casos.  Além disso, a detecção da febre não ajuda em nada com portadores de coronavírus que não apresentam sintomas. As estimativas da taxa de casos assintomáticos de COVID-19 variaram de 25% a 80% dos infectados.

"Coisas como a detecção de febre podem ser úteis, mas se as pessoas não se distanciarem socialmente e não estiverem usando máscaras, isso não será preventivo", diz Saptharishi.

À medida que mais estados pressionam para reabrir certas empresas e relaxar o confinamento, as empresas do setor de vigilância estão desenvolvendo tecnologia para ajudar a reforçar o distanciamento social. A subsidiária da Motorola, Avigilon, por exemplo, está desenvolvendo software para suas câmeras de segurança de última geração que detectam quando as pessoas estão muito próximas ou não usam máscaras. 

Os cientistas recomendaram ficar a pelo menos um metro e meio de distância para reduzir o risco de contrair o vírus através de partículas no ar. Ao identificar os pontos críticos onde as pessoas estão violando essas diretrizes, os gerentes de construção podem descobrir como estruturar suas lojas e espaços de trabalho e evitar a conglomeração de muitas pessoas no mesmo local. Esta solução pode estar disponível já no final de junho, principalmente para escritórios e fábricas, embora supermercados e lojas de varejo também possam usar a tecnologia.

Outras tecnologias à serviço da prevenção do COVID 19

A Camio, com sede em San Mateo, Califórnia, também está construindo um sistema para detectar quando as pessoas estão se reunindo muito perto ou deixando de usar máscaras. Enquanto o sistema da Motorola exige câmeras específicas e é executado offline, o produto da Camio funciona com qualquer câmera de segurança por meio de software baseado em nuvem.

 

Sabemos que é completamente antinatural e difícil pedir para as pessoas mantenham a distância. Nos países mediterrâneos, no Brasil e América Latina é uma questão cultural que irá exigir um grande esforço para que os hábitos sejam alterados. Você precisa colocar fita no chão para lembrá-los ou colocar cones do lado de fora do vestíbulo de uma entrada etc.

 

As instalações que monitoram a densidade de multidões também correm o risco de sofrer uma reação negativa, especialmente nos Estados Unidos, onde as tensões sobre a imposição da distância social começaram a transbordar. Na semana passada, em Flint, Michigan, dois homens foram acusados de assassinar um segurança em uma loja da Family Dollar depois de uma briga pelo uso de máscaras. Na cidade de Nova York, a polícia foi acusada de atingir desproporcionalmente os residentes de negros e latinos por violar as diretrizes da cidade. Enquanto isso, manifestantes presos evitam deliberadamente o distanciamento social em comícios onde alegam que suas liberdades foram violadas. 

As preocupações com a privacidade das pessoas são essenciais e o ideal é que as informações sejam analisadas de maneira genérica e impessoal. 

Em resumo 

Transporte público, indústrias, grandes varejistas...todos estão "ligados" nestas tecnologias visando preservar a saúde de seus colaboradores, clientes e principalmente garantir a sobrevivência dos seus negócios nestes tempos difíceis.  

Vamos aguardar os próximos passos...enquanto isso proteja-se e fique em casa o máximo possível e cuide dos seus e apoie sua comunidade.

 Fonte: Fast Company Compass | FastCompany.com 

Posts recentes